Viés inconsciente: o que é e por que evitá-lo no ambiente de trabalho?

Com a correria do dia a dia e nossos problemas sempre urgentes, acabamos nos esquecendo de refletir sobre pequenas atitudes do nosso cotidiano que podem afetar a vida do outro.

Muitas vezes julgamos o outro sem perceber, o que pode feri-lo. Os estereótipos e opiniões que temos formados dentro da nossa cabeça, baseados em experiências que vivenciamos ao longo da vida, podem interferir no nosso julgamento e na nossa percepção sobre alguém.

Esta ação, algo que fazemos sem perceber, é chamada de viés inconsciente. Além de afetar o outro diretamente, pode afetar nossos relacionamentos, sejam eles pessoais ou profissionais.

Apesar da sua definição simples, existem ramificações do viés inconsciente que nos fazem entender melhor nossas atitudes diárias. Falaremos sobre elas para que você entenda de forma mais clara. Veja:

Viés de Afinidade: Faz com que avaliemos de maneira melhor pessoas que possuam gostos parecidos com os nossos;

Viés de Percepção: Faz com que reforcemos estereótipos criados pela opinião da sociedade;

Viés Confirmatório: Faz com que demos mais importância para opiniões iguais às nossas, ignorando as que sejam opostas;

Efeito de Auréola: Nos faz avaliar algo de forma positiva se antes recebermos uma informação agradável sobre ela;

Efeito de Grupo: Nos faz seguir o comportamento do grupo no qual estamos inseridos.

Mas por que tomar cuidado com este tipo de comportamento dentro da empresa? Nós te explicamos. Este tipo de pré julgamento pode afetar diretamente na contratação de profissionais, fazendo com que toda a equipe da empresa tenha o mesmo perfil, limitando novas atitudes ou ideias de crescimento para o negócio.

Além disso, pode atrapalhar no momento de lidar com a diversidade de pessoas dentro do ambiente, tirando conclusões precipitadas a respeito do outro, e causando conflitos desnecessários.

Por isso, é importante nós refletirmos sempre sobre o que falamos e expomos. Além do ambiente de trabalho, os ambientes externos (pessoais) também exigem esta atenção.

É preciso pensar com empatia, se colocando no lugar do outro e evitando criar problemas indevidos e desnecessários. O respeito e a empatia são as nossas melhores armas contra os julgamentos ruins.

VIA: Liberdade para fazer aquilo que ama!

Deixe um comentário

Não saia ainda, deixe seus dados que vamos surpreender você!